Venus de Milo

A Cirurgia Plástica

Área da medicina especializada em melhorar a estética, corrigir defeitos físicos e reconstituir órgãos que devolvam a função de alguma parte do corpo que tenha sido lesionada.

Conhecer o universo da cirurgia plástica e o que ela tem a oferecer para melhorar a qualidade de vida das pessoas é fundamental na hora de decidir submeter-se ao procedimento. Por isso, a informação passou a ser um componente importante e dela devem se valer o médico e o paciente.

Entrevista com Sérgio Aidar

O paciente que se prepara para a cirurgia obtém melhores resultados?

Sem dúvida. A cirurgia plástica deve ser precedida de alguns procedimentos, fundamentais até mesmo para se resguardar a saúde, dentre eles, a avaliação feita pelo médico com o objetivo de conhecer as condições clínicas do paciente, antes dele submeter-se à cirurgia.

O que se pode esperar dos resultados da cirurgia plástica?

A cirurgia plástica é capaz de melhorar bastante a estética de uma pessoa, tanto facial quanto corporal. É possível, também, reconstituir órgãos, a exemplo de uma mama que tenha sido retirada em função de um câncer. E, ainda, corrigir defeitos ou restituir a função de órgãos que estejam prejudicados por razões congênitas ou acidente. No entanto, a cirurgia plástica não deve mudar as feições da pessoa. É preciso ter bom senso e levar em conta, não só as condições clínicas do paciente, mas as limitações da idade.

É possível antever os resultados da cirurgia plástica?

Atualmente, existem softwares como o Mirror (palavra de origem inglesa, que em português significa “espelho”) que permitem a simulação dos resultados na tela do computador, a partir de foto digital, tirada pelo médico. Assim, é possível delimitar as partes que serão trabalhadas e antever os resultados. Veja mais informações clicando aqui.

Quantas cirurgias podem ser feitas ao mesmo tempo?

É possível realizar mais de um procedimento num mesmo ato cirúrgico. Isso, no entanto, vai depender do tipo de cirurgia e das condições clínicas de cada paciente. Via de regra, é possível conciliar a abdominoplastia com a lipoescultura, a abdominoplastia com a mama, a reconstrução de uma mama com uma lipo, dentre outros exemplos. Há pacientes que aproveitam a ocasião para fazer vários procedimentos de uma só vez. Isso nem sempre é recomendável, pois o médico precisa de tempo para realizar um bom trabalho, visto que a cirurgia plástica é constituída de detalhes e exige habilidade profissional e perícia.

O paciente que vai fazer lipo deve emagrecer antes da cirurgia?

O paciente pode até emagrecer um pouco, mas deve fazê-lo com cautela, sem exageros. Se a pessoa emagrece de forma rápida e acentuada, o corpo fica sujeito ao efeito sanfona, e o risco de engordar novamente após a cirurgia é grande. Na maioria dos casos, o paciente deve ser operado com o peso médio que mantém durante a maior parte de sua vida, e não com o peso que gostaria de ter.

Crianças e adolescentes podem se submeter à cirurgia plástica?

A idade impõe algumas restrições à cirurgia plástica. Crianças com mais de seis anos de idade estão aptas a se submeter a alguns procedimentos, como a correção de orelha em abano. Adolescentes, de modo geral, a partir dos 15 anos já podem fazer lipoescultura, correção de nariz, redução mamária e colocar prótese de mama. Antes dos 15 anos, a cirurgia só deve ser feita em casos excepcionais, em que se faça obrigatória, seja para melhorar a qualidade de vida da pessoa ou devolver ao corpo alguma função que tenha sido prejudicada. Cabe ao médico esclarecer o paciente e orientá-lo adequadamente.

É possível corrigir uma cirurgia plástica?

Sempre é possível melhorar o resultado de uma cirurgia que não tenha sido bem sucedida.

O médico pode evitar o aparecimento de queloide?

O médico não tem como evitar o queloide. Trata-se de uma super cicatriz, desenvolvida pelo próprio organismo. Algumas pessoas têm tendência a ter queloide e outras, não. Hoje, já existem tratamentos para prevenir e também minimizar essas cicatrizes. Um deles é a radioterapia. Confira mais informações clicando aqui.

A prótese de silicone pode trazer complicações?

Em épocas passadas, e em alguns casos, o silicone ocasionava contratura capsular, que significa o endurecimento da mama. Hoje, as próteses de silicone possuem tecnologia moderna em sua fabricação, o que fez esse risco cair para 2%, aproximadamente.

Os seios ficam insensíveis com a prótese?

É importante salientar que o uso da prótese de silicone não deixa os seios insensíveis e, tampouco, com uma aparência artificial. Os materiais empregados na fabricação das próteses estão cada vez mais refinados e seguros, com formas bem parecidas com a mama natural.

A mama retirada em função de um câncer pode ser reconstituída?

A cirurgia plástica tem avançado muito nesse aspecto. A mulher que passou por uma mastectomia tem todas as condições de ter um corpo novo e remodelado. Para reconstituir a mama, são retiradas pele e gordura do abdome ou das costas. Se retiradas do abdome, além de ter a mama de volta, reconstituída, a paciente ainda fica livre do excesso da porção de barriga utilizada na reconstituição da mama. Saiba mais, clicando aqui.

Homem também pode fazer lipoescultura?

Pode e não há nenhum problema. A lipoescultura tem sido cada vez mais freqüente entre os homens, e os resultados tendem a ser muito bons.

O uso do cigarro interfere no resultado da cirurgia plástica?

Os efeitos do fumo no organismo podem interferir no resultado da cirurgia plástica, sim. Dentre os males causados pelo cigarro, um deles é o “entupimento” da microcirculação da pele, diminuindo a irrigação (nutrição) na região operada. Isso pode levar a complicações no processo de cicatrização, provocadas pela necrose da pele, que se caracteriza pelo aparecimento de feridas, que podem comprometer a estética da cicatriz.

É aconselhável parar de fumar entre 7 e 10 dias antes da cirurgia e iniciar o uso de medicação que ajude a melhorar a circulação na superfície da pele.

Pré-operatório

Fazer a profilaxia é o caminho mais seguro

Antes de qualquer cirurgia, é necessário avaliar as condições físicas e clínicas do paciente. A profilaxia é uma medida preventiva, cujo objetivo é diminuir o risco cirúrgico, checando, por meio de exame clínico e complementar, se o paciente está ou não em condições de se submeter ao procedimento.

Cuidados que o paciente deve tomar

  • Fazer jejum de 12 horas, abstendo-se inclusive de água.
  • Depilar as regiões pubianas e/ou axilas, conforme o tipo de cirurgia.
  • Não usar óleos ou cremes na véspera, pois prejudicam a marcação do corte, que é feita com caneta e tinta especiais.
  • Dormir mais cedo para que esteja bem fisicamente no dia da cirurgia.
  • Essas e outras informações estão contidas no Guia de Cuidados Operatórios. Para fazer o download, clique aqui.

O cigarro e a cirurgia plástica

Considerado um dos maiores inimigos da cirurgia plástica, o cigarro pode interferir negativamente no resultado estético. Ele provoca o “entupimento” da microcirculação da pele, diminuindo a irrigação (nutrição) na região operada. Isso pode levar a complicações no processo de cicatrização, provocadas pela necrose da pele e o conseqüente aparecimento de feridas. É aconselhável que pacientes fumantes parem de fumar de 20 a 30 dias antes da cirurgia. Em torno de uma semana a dez dias antes do procedimento, e sob a orientação médica, eles devem iniciar o uso de medicação para melhorar a circulação na pele.

Pós-operatório

Cuidados nessa fase determinam bons resultados

A tecnologia avançada e os equipamentos de ponta empregados na cirurgia plástica simplificaram muitas etapas, inclusive a do pós-operatório. Os desconfortos são menores e o tempo de repouso mais curto, tornando desnecessárias as condutas castigantes de antigamente. Os bons resultados da cirurgia, no entanto, dependem de uma série de fatores, sendo fundamental a colaboração do paciente. O Guia de Cuidados Operatórios contém orientações e procedimentos que devem ser adotados antes e depois da cirurgia. Para fazer o download, clique aqui.

Depressão pós-operatória

Alguns pacientes, depois de passarem por uma cirurgia, experimentam uma sensação de tristeza, desânimo ou mesmo depressão. Isso é considerado natural, principalmente nos primeiros dias, quando o corpo ainda está inchado, arroxeado e a aparência física longe de ser aquela que foi idealizada.

À medida que esses sinais desaparecem, a autoestima é recuperada e, via de regra, fortalecida. Por essas razões, é importante que o paciente esteja bem informado sobre o período pós-operatório e, se esse estado de espírito vier a ocorrer, comunicar ao médico.

Home Care (atendimento no domicílio)

Buscando oferecer um atendimento diferenciado aos pacientes, foi criado o serviço de atendimento no domicílio, em que uma enfermeira, com experiência na área, acompanha o paciente durante o período pós-operatório. Esse serviço é opcional e complementar à assistência dada pelo médico. Se o paciente optar pelo atendimento no domicílio, a enfermeira irá à casa dele para fazer os curativos e o acompanhará até a retirada dos pontos. Clique aqui para saber mais.